bertBert Hellinger

Nascido na Alemanha em 1925, formou-se em teologia e em pedagogia e trabalhou 16 anos como membro de uma ordem missionária católica entre os Zulus na África do Sul.

Através de formações e experiência em campos variados, como Psicanálise, Terapia Primal, Análise Transacional, Hipnoterapia e Terapia Familiar, desenvolveu um método original de constelações sistêmicas, largamente difundido em todos os continentes.

Seus livros, traduzidos em muitas línguas, incluem reprodução de workshops, ensaios teóricos, pensamentos, poemas e contos breves; em contextos de genuína e forte espiritualidade.

 

Fui incentivada a falar de Bert Hellinger com o coração por uma pessoa amiga. Aparentemente seria difícil, mas ao sentar para escrever e deixar meu coração falar, vi como era fácil traduzir em palavras o que pensava sobre este homem. Muito do meu aprendizado de vida, da minha compreensão da alma, do meu ver e sentir, além dos passos seguidos em minha caminhada profissional e pessoal, aprendi com ele.
Um homem tão comum, mas com a sabedoria de um guerreiro, que nunca desite ou cessa sua busca e, quando concretiza algo, já está olhando adiante, numa visão de um novo caminho. Daí tanta transformação em seu trabalho.
Criticado por alguns, ele não se deixa abater e não se retrai, ao contrário, mostra sempre a que veio. Mostra seu pensamento sistêmico e o que vê no campo de trabalho, a realidade do que está ali na sua frente com a coragem de um tigre.
Workshops, cursos, livros publicados em 27 idiomas, trabalho reconhecido mundialmente, viagens longas e com uma disposição invejável, tudo isso faz parte da vida deste senhor que nasceu na Alemanhã, em 1925.
Visionário que é, presentei-nos até hoje com seus ensinamentos vivenciais ou por meio de livros que atingem nossa alma, trazendo informações atualizadas e forma de pensar futurista. Apesar de sua idade, quando o encontramos nos parece jovem, tão forte é sua presença.
Uma coisa que sempre chama atenção na condutta deste profissional é o desapego às suas obras. Assim como uma mãe que dá a luz a um filho e o libera conforme ele vai crescendo, pois sabe que ele pertence ao mundo, Hellinger também sempre pareceu agir assim, ou seja, pondo sua criação à disposição de todos, permitindo que o conhecimento transmitido se vá e siga seu caminho, pois sabe que ele se manterá vivo. Agindo assim, deixa o mundo se servir dos conhecimentos que ele transmite como objetos de cura, que podem ajudar um grande número de pessoas, colocando sua própria criação a serviço do  mumdo.
Hellinger passou pela guerra, pela “ordem religiosa” e por diversos estudos psicoterapêuticos até desenvolver seu próprio método sistêmico. A Constelação Familiar é, sem dúvida, um dos mais novos talentos para a colaboração da compreensão do ser humano em toda sua essência e integridade, revolucionando a psicoterapia. Podemos ver isto em sua atuação profissional quando, por respeitar o cliente, respeita também suas resistências, sua intimidade, respeita também o excluído dentro do sistema, respeita tudo como se apresenta, enfim respeita o caminho das almas.
Retirado do livro “Constelação Familiar – Do Tradicioanl ao Medial, um guia para o amor.

Celma Villa Verde